TEMA 2: Governança e Planejamento

Em relação à Governança, dois aspectos serão discutidos, ambos relevantes para alcançar o ODS 6 – Água e Saneamento para Todos.

Governança Corporativa é o sistema de regras, práticas e processos pelos quais a empresa é dirigida e controlada. No nosso caso, discutiremos a governança corporativa das Operadoras de Água e Esgotos. Envolve o equilíbrio entre os interesses das diversas partes interessadas da empresa, como acionistas, administradores, clientes, fornecedores, financiadores, governo e comunidade.

A Governança da Água engloba as regras, práticas e processos políticos, institucionais e administrativos (formais e informais) através dos quais as decisões são tomadas e implementadas, as partes interessadas podem articular seus interesses e ter suas preocupações consideradas e tomadores de decisões são responsáveis ​​pela gestão de recursos hídricose fornecimento dos serviços de água e esgotos. A governança da água é um meio para um fim que deve proporcionar resultados benéficos para a sociedade, a economia e o meio ambiente. Um sistema de governança eficaz é o que, em última análise, ajuda a administrar “água demais”, “muito pouca água” e “água muito suja” de maneira sustentável, integrada e inclusiva. É um assunto fundamental para alcançar o Acesso Universal à Água e ao Saneamento.

Resultados esperados: as discussões a respeito de Governança e Planejamento na RIO WATER WEEK 2018 fornecerão informações sobre diferentes políticas internacionais de recursos hídricos que ajudaram as populações a alcançar sistemas sustentáveis ​​de água e esgoto com altos níveis de acesso e qualidade desses serviços.

Essas experiências serão usadas para discutir, por comparação, a eficiência de Políticas Nacionais de Recursos Hídricos nos últimos 20 anos e como ela pode ajudar na implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento.

 

O Tema será desenvolvido através de 3 Tópicos e 5 Sessões:

Tópico 21 – Governança Corporativa das Operadoras de Água e Esgoto:

Sessão 211 – Como alcançar a boa governança nas operadoras de água e esgoto

Sessão 212 – Macro Gerenciamento

 

Tópico 22 – Governança Integrada dos Recursos Hídricos:

Sessão 221 – Experiência Brasileira e Internacional

 

Tópico 23 – Planejando alcançar o ODS6

Sessão 231 – Como as ações políticas contribuem para alcançar o ODS6.

 

Os ODS e outras conexões relevantes das agendas globais:

– ODS 6, meta 6.5,
– ODS 17

Luciana Capanema
BNDES
Gerente no Departamento de Saneamento Ambiental do BNDES, onde é responsável pelos estudos setoriais e relacionamento com os representantes do setor. Graduada em Engenharia Química e Mestre em Engenharia de Minas e Metalurgia pela UFMG, com Curso de Especialização em Desenvolvimento Econômico e Social pela UFRJ. Atuou na Área de Planejamento da Financiadora de Estudos e Projetos Finep de 2001 a 2003. Desde junho de 2003, é funcionária do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, onde atuou em inovação, complexo agroindustrial e indústria da saúde.
Francisco Carlos Castro Lahóz
Consórcio PCJ
Engenheiro Civil, Mestre em Irrigação e Drenagem, atualmente Secretário Executivo do Consórcio PCJ e Coordenador Geral de Projetos da entidade desde 1991. Membro do Conselho Nacional de Recursos Hídricos pelo segmento Comitês/Consórcios e representante do Consórcio junto aos Comitês PCJ desde 1998. Coordenou Projeto de Difusão Tecnológica em Gestão dos Recursos Hídricos com abrangência a 11 Estados Brasileiros e de programas similares regionais, tendo ocupado a Coordenação Geral da Agência PCJ de 2006 a 2010. Professor Universitário e Especialista em Gestão dos Recursos Hídricos, com vários livros e trabalhos técnicos publicados.
Marcelo de Paula N Lelis
Ministério das Cidades
Engenheiro civil pela Universidade Federal de Viçosa – UFV com especialização em Elaboração e Gerenciamento de Projetos em Recursos Hídricos e mestrado em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. É analista de Infraestrutura da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, onde exerceu o cargo de coordenador geral entre os anos de 2013 e 2018. Foi conselheiro do CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente e membro do Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Foi gerente do Programa de Modernização do Setor Saneamento – PMSS (2004/09) e coordenador técnico do Laboratório de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFV (1998 a 2003).
Juliana Jerônimo Smiderle
FGV Ceri
Pesquisadora na área de saneamento do Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura da Fundação Getúlio Vargas (FGV CERI). Engenheira civil e mestranda em Engenharia Ambiental pela Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Realizou intercâmbio acadêmico na University of Derby, onde trabalhou em duas empresas de saneamento. Possui experiência em projeto de sistema de esgotamento sanitário e regulação dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário.
Eduardo Schlaepfer Dantas
CEDAE
Mestre em Engenharia Ambiental – PEAMB/UERJ, especialista em Gestão Ambiental de Bacias Hidrográficas/ COPPE/PPE, Engenharia Sanitária e Ambiental/ DRHIMA/UFRJ e Engenharia de Segurança do Trabalho/ POLI/UFRJ. Atua há mais de 20 anos na área ambiental com ênfase em gestão de recursos hídricos. Possui larga experiência em colegiados de recursos hídricos, comitês de bacias e nos conselhos de recursos hídricos estadual e nacional. Foi presidente da Câmara Técnica de Cobrança pelo uso dos recursos hídricos do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CTCOB/CNRH) e é o atual Secretário do Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul. Integra a equipe da Assessoria de Gestão Ambiental da CEDAE há 12 anos, há 10 na Chefia do Departamento de Recursos Hídricos da companhia.
Reynaldo Young Ribeiro
Sabesp
É mestre em Engenharia Urbana – UFSCar, MBA Engª Saneamento Básico - FSP/USP – São Pulo/BR, MBA Water Pollution Controll - ICETT - Yokkaichi /JP e é graduado em Engenharia Industrial Mecânica – UNISANTA. Atua há mais de 30 anos em práticas de gestão operacional e empresarial na Sabesp, onde iniciou sua carreira em 1981. Possui experiência no setor público estadual e municipal, tendo atuado nas áreas operacionais de tratamento de água e esgotos, controle do abastecimento público, sistemas de gestão da qualidade e projetos de riscos operacionais e ambientais. Atualmente trabalha na área de Gestão de Riscos e Conformidade da Sabesp.
Mayná Coutinho Morais
CEDAE
Assessora Executiva da Presidência da CEDAE. Engenheira Ambiental graduada em Engenharia de Recursos Hídricos e Meio Ambiente pela Universidade Federal Fluminense e Técnica em Meio Ambiente pelo Colégio Pedro II. Diretora Técnica do Comitê Baía de Guanabara. Membro Titular das Câmaras Técnicas do Conselho Nacional de Recursos Hídricos: CT do Plano Nacional de Recursos Hídricos, CT de Integração da Gestão das Bacias Hidrográficas e dos Sistemas Estuarinos e Zona Costeira, CT de Cobrança pelo Uso de Recursos Hídricos; das Câmaras Técnicas da AESBE; do Conselho Estadual de Recursos Hídricos e do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Rio de Janeiro; de Comitês de Bacia Hidrográfica.
Julio Cesar Oliveira Antunes
CEDAE
Engenheiro Civil , pela UERJ. Especialista em Engenharia Sanitária e Ambiental pela UERJ. Mestre em Ciências em Recursos Hídricos pela UERJ. Professor do Departamento de Meio Ambiente do CEFET/RJ. Gerente da Gerência Guandu-Lameirão da CEDAE-RJ. Representante da ABES-RJ e Diretor Geral no Comitê de Bacia Hidrográfica do Guandu-RJ.
Célia Regina Alves Rennó
COPASA
Engenheira civil com especialização em Engenharia Sanitária pela EEUFMG e em Engenharia Ambiental no Illinois Institute of Technology de Chicago. Cursou especialização em Gerenciamento de Recursos Hídricos na Universidade de Lund, Suécia, e tem MBA em Gestão Estratégica de Empresa de Saneamento pela Fundação João Pinheiro (2002) e pela Fundação Dom Cabral (2004). Trabalha desde 1983 na Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA - tendo trabalhado nas áreas de projetos, recursos hídricos e meio ambiente e de Pesquisa e Desenvolvimento operacional e tecnológico. Atua hoje na Assessoria Técnica da Presidência da empresa. Foi presidente da ABES – Seção Minas Gerais – de 2011 a 2015 e é membro do Conselho Diretor da ABES e coordenadora adjunta da Câmara Temática de Recursos Hídricos. Representa a ABES em diversos fóruns da sociedade civil, como Conselho Nacional de Recursos Hídricos - CNRH e CONAMA.

Em breve...

Acesse aqui a data e horário da programação deste tema e adicione diretamente em sua agenda.

Compartilhe: