TEMA 6: Monitoramento & Relatório do ODS 6

A Conferência Rio+20, realizada em 2012 no Brasil, estabeleceu as condições básicas para que os Estados-Membros da ONU construíssem coletivamente a Agenda 2030, que corresponde a um conjunto de programas, ações e diretrizes que orientarão os trabalhos das Nações Unidas e dos países desenvolvidos e em desenvolvimento rumo ao desenvolvimento sustentável em suas três dimensões: social, econômica e ambiental.

A Agenda 2030 propõe 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e 169 metas correspondentes, cuja implementação ocorre no período 2016-2030 e que são monitoradas por indicadores. Os resultados de cada país e sua evolução histórica poderão ser comparados e acompanhados pelas Nações Unidas em todo o mundo.

O Objetivo 6, ou SDG6 em inglês – “Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos” – permite avaliar o cenário de cada país quanto a disponibilidade de recursos hídricos, demandas e usos da água para as atividades humanas, ações de conservação dos ecossistemas aquáticos e redução de desperdícios.

Traz ao mundo o desafio da universalização do saneamento e da gestão sustentável da água em todas as suas áreas: abastecimento de água, esgotamento sanitário, resíduos sólidos e drenagem urbana.

O Tema 6 “Monitoramento & Relatórios do ODS 6”, que será abordado na Rio Water Week, tem como objetivo apresentar, a partir de uma visão técnica, um panorama do andamento das metas do ODS 6 e estratégias de monitoramento adotadas nacional e internacionalmente, contemplando questões de transparência na gestão das informações, relatórios e formas de comunicação com todos os setores envolvidos, incluindo a sociedade civil.

Alexandre Lima
Agência Nacional de Águas
Engenheiro civil pela UFRJ com mestrado em recursos hídricos na COPPE. É especialista em recursos hídricos da Agência Nacional de Águas desde 2004 e atualmente é Coordenador de Conjuntura e Gestão da Informação da ANA. Coordena desde 2009 a elaboração dos relatórios de Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil, que é a referência na produção de indicadores sobre recursos hídricos, dentre eles os relacionados com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 (ODS 6). Também atua diretamente na gestão e produção das informações e indicadores do Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos – SNIRH e tem participado das discussões, seja em âmbito nacional quanto internacional, para a produção dos indicadores das metas do ODS 6.
Ângelo José Lima
Observatório das Águas
30 anos de experiência em ambiente e gestão das águas, Doutor em Geografia em Análise Ambiental e Dinâmica Territorial (UNICAMP/2018), Mestre em Ciências de Planejamento Energético, área de concentração em Planejamento Ambiental (COPPE/UFRJ/2000); Especialista em Instrumentos Jurídicos, Econômicos e Institucionais para o Gerenciamento de Recursos Hídricos (UFPB/2000) e Biólogo (UFRRJ/1988). A experiência profissional tem se caracterizado por uma visão holística dos problemas do país, em especial dos problemas ambientais e dos recursos hídricos e desta forma minhas atividades refletem este perfil, desenvolvendo atividades de governança, gerenciamento e planejamento participativos, análises e parecer de relatórios e projetos, elaborando projetos e termos de referências, organizando eventos, ministrando cursos e seminários que busquem trocar e informar experiências.
Enrique Cabrera
IWA
Enrique Cabrera Jr. tem mais de 20 anos de experiência no campo de gestão de serviços urbanos de água. Sua tese de doutorado tratou de avaliação de desempenho de serviços de água potável e, mais especificamente, indicadores de desempenho e benchmarking. Ele é coautor dos Manuais de Boas Práticas da IWA sobre Indicadores de Desempenho para Serviços de Abastecimento de Água e Benchmarking. Atualmente, é o co-presidente do Grupo de Especialistas em Avaliação de Desempenho e Benchmarking da IWA. Desempenhou papel fundamental na elaboração das normas ISO 24500 sobre serviços de água, onde atuou como convocador do Grupo de Trabalho 2 (que elaborou a norma ISO 24510) e membro do Grupo de Coordenação. É professor titular da Universidade Politécnica de Valência, onde leciona sobre Mecânica dos Fluidos e atualmente é vice-reitor da Faculdade de Engenharia Industrial.
Ricardo Röver Machado
ABES - CT Perdas e Eficiência Energética
Ricardo é engenheiro civil e trabalha na Companhia Riograndense de Saneamento - CORSAN por 33 anos, período no qual trabalhou como Coordenador Operacional - responsável pelos sistemas de abastecimento, Superintendente Regional e Diretor de Operações. Coordena hoje o Programa Especial de Gestão de Perdas e Sustentabilidade, vinculado ao Gabinete da Presidência. Possui MBA em Gestão e Negociação Empresarial, é vice-presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – Seção Rio Grande do Sul (ABES-RS) e coordena a Câmara Temática Nacional de Gestão de Perda e Eficiência Energética da ABES. Também é instrutor do "Curso Básico de Controle e Redução de Perdas" – EAD (educação a distância) da UNIABES.
Sergio Brasil Abreu
Ministério das Cidades
Engenheiro Civil pela Universidade Federal do Ceará, Mestre em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo e Doutor em Engenharia Hidráulica e Ambiental pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Servidor público da carreira de Analista de Infraestrutura do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, em exercício na Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades. Foi por três anos coordenador-geral do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento e atualmente coordena o projeto para elaboração da Proposta de um Plano de Ações para instituir uma política de reúso de efluente sanitário tratado no Brasil.

O tema será desenvolvido através de Tópico e Sessão únicos.

Tópico 61 – Sistemas de Monitoramento:

Sessão 611 – Experiências em Indicadores para Monitoramento do ODS 6

Em breve...

Acesse aqui a data e horário da programação deste tema e adicione diretamente em sua agenda.

Compartilhe: