TEMA 9: Mudanças Climáticas e a Água

A mudança climática impacta sobretudo os recursos hídricos disponíveis, incluindo a garantia de serviços de água e saneamento de água para todos (ODS6). 

Ocorrem mudanças significativas do ciclo hidrológico, dos padrões de distribuição de precipitação, das vazões de escoamento dos rios, do reabastecimento e da qualidade da água subterrânea. Ocorrem também eventos extremos, como secas, enchentes, tempestades e derretimento de glaciares. A mudança climática aumenta ainda mais os desafios já existentes em garantir a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos, tanto na vertente de qualidade como na vertente de quantidade.

Seu caráter transversal torna a segurança hídrica a chave para medidas bem sucedidas de adaptação, para aqual são necessáriaspolíticas articuladas, planejamento e ações que envolvam os governos em todos os níveis, os setores e a sociedade. 

Neste tema, nas suas diversas sessões, são discutidas com representantes de governos, pesquisadores, ONGs e empresários a efetiva adaptação dos sistemas de abastecimento de água e saneamento às mudanças climáticas. As discussões focarão na adaptação aos riscos climáticos, na segurança hídrica e no acesso melhorado à água. 


O tema será abordado em três tópicos e cinco sessões:

 

1.      Fontes alternativas de água:

Sessão 911 – Planejamento de água de REÚSO para garantir água segura e economicamente acessível para TODOS; 

Sessão 912 – Diversificação da Matriz da Água: Como viabilizar essa a Dessalinização?

 

2.   Água e a Adaptação às Mudança Climáticas:

Sessão 921 – Gestão de recursos hídricos em situações de secas.

Sessão 922 – Mudanças Climáticas e a Água: Acesso `água e aos Recursos Naturais

 

3.     Água e Mitigação das Mudanças Climáticas:

Sessão 931 – CND- Contribuições Nacionais Determinadas/Acordo de Paris – Países pioneiros partilham as suas estratégias. 

Rita Cavaleiro de Ferreira
GIZ - Alemanha
Rita é de Portugal, tem 20 anos de experiência no setor de água e saneamento. Suas atividades se concentram em eficiência energética, regulação setorial, benchmarking, sistemas de informação e avaliação da qualidade dos serviços de água e saneamento. Desde 2011, ela presta consultoria e cooperação a nível internacional. As últimas atribuições incluíram assistência no México para CONAGUA e ANEAS. Atualmente coordena o ProEESA, um Projeto de Eficiência Energética em Abastecimento de Água Urbana no Brasil (cooperação entre a Secretaria Nacional de Saneamento (SNSA) do Ministério das Cidades e o Ministério Federal de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha).
Luiz Carlos Xavier da Silva
Pacto Global ONU - BRASKEM
Engenheiro eletricista e de Segurança, advogado com MBA em Gestão do Negócio Químico pela FGV-SP e Universidade de Cranfield na Inglaterra e especialista em Desenvolvimento Sustentável pela FIA-SP. Atua há 28 anos na indústria, sendo o atual responsável pelo tema Mudanças Climáticas na Braskem e Coordenador do Grupo de Trabalho de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas.
André Braga Galvão Silveira
Ministério das Cidades - SNSA
É mestre em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e graduado em Engenharia Civil pela UFRN. Possui especializações em temáticas do setor público. É analista de infraestrutura da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, onde atua no tema de perdas de água e eficiência energética. Tem experiência em docência do ensino superior, em disciplinas relativas ao Saneamento Básico. Conselheiro consultivo da ABES/DF.
Gari Villa-Landa Sokolova
AEAS - Espanha
Bióloga molecular com 3 cursos de mestrado: Gestão Ambiental, Planejamento e Gestão da Cooperação para Intervenções de Desenvolvimento e Direito da Água. Trabalhou para a Direção Geral de Água da Espanha, há 10 anos, na Secretaria Técnica Permanente da Conferência de Diretores Ibero-Americanos da Água (CODIA), coordenando o Programa Ibero-americano de Treinamento em Água. Depois dessa experiência, continuou trabalhando em outros projetos na Direção Geral de Águas, começando a lidar com aspectos regulatórios. Desde 2015, é diretora de Assuntos Internacionais da Associação Espanhola de Abastecimento de Água e Saneamento (AEAS). É membro do Comitê Diretivo da Iniciativa de Governança da Água da OCDE e também representante da AEAS na IWA.
Flavia Oliveira
ANA – Agência Nacional de Águas
É coordenadora da Gerência Geral de Estratégia da Agência Nacional de Águas (ANA). É química especializada em Qualidade da Água e em Gestão de Recursos Hídricos, possui mestrado e doutorado em Química. Em sua posição, apoia a Diretoria da ANA em melhores práticas de regulação, em diferentes questões de recursos hídricos e planejamento estratégico. Trabalhou com o programa de Qualidade da Água da ANA. É um dos ponto focais para a Estratégia de implementaçao do Plano Nacional de Adaptação às Mudanças Climáticas do setor de Recursos Hídricos. Antes de ingressar na ANA, Flavia era a coordenadora responsável pelos programas de pós-graduação profissional na Coordenação de Melhoramento do Pessoal de Nível Superior (Capes).
Ana Fioreze
ANA – Agência Nacional de Águas
Ana é engenheira agrônoma especializada em Gestão de Recursos Hídricos e com mestrado em Agronomia – Água e Solo. É superintendente adjunta de Operações e Eventos Críticos na Agência Nacional de Águas, com atividades relacionadas à operação de reservatórios, acompanhamento e mitigação de secas, acompanhamento e construção de resiliência a inundações e adaptação do setor água às mudanças climáticas. Na ANA, atuou também na área de gestão estratégica. Participou da elaboração do Plano Nacional de Adaptação às Mudanças Climáticas e é ponto focal para sua Estratégia de Recursos Hídricos. Anteriormente, gerenciou a área de alocação e outorga de água no Estado de Goiás.

Em breve...

Acesse aqui a data e horário da programação deste tema e adicione diretamente em sua agenda.

Compartilhe: